Seguidores

Google+ Followers

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Virei Funça!

Sim é um título chamativo, mas é quase isso mesmo. Como prometido no meu último fechamento, está aqui a atualização sobre meu “novo” emprego.
Continuação...

Aguardando ansiosamente pelo emprego prometido, fico quase 2 semanas no aguardo. Fico pensando que o período que estava passando seria exatamente o início do emprego que dispensei. Fiquei bastante ansioso, pois nunca confiei plenamente nas pessoas, sempre só apareceram aproveitadores em minha vida e esse emprego prometido poderia ser apenas mais uma promessa furada.

Quando em uma terça-feira recebo uma ligação na hora do almoço.
-Alô! É o Bozo?! (apelido em alusão ao nome de outro palhaço que eu tinha nesse local de trabalho)
-Sim sou eu?!
-É o Roberto!
-Que Roberto?
-O Roberto, o primo do Jamil, aquele que tá no grupo de putaria do Whatsapp.
-Ah, pera ai...Antônio?!
-É sim, Antônio é meu sobrenome, fala aí Bozo! tô te ligando porquê você tem que passar na sede da empresa com toda a documentação, a estagiária ia te ligar ontem, mas esqueceu de te ligar. Anota o endereço aí: xxxxxx, é em uma casa verde logo após uma curva, pelo menos foi assim quando eu vim de São Gonçalo, tu tem que pegar a linha xxx na Leopoldina e salta logo depois dessa curva. Tu já tem toda a documentação né?
-Ah não tem problema não cara, eu me viro aqui com o ônibus, já tô com toda a documentação pronta, mas é pra passar lá quando?
-Se puder agora, era pra gente já ter te contratado. Você vai começar na quinta-feira agora.
-Ok então, valeu cara, já to indo pra lá.

Nisso termino de almoçar e junto a documentação que eu já tinha pronta para as várias entrevistas que tinha participado. A única coisa que estava me atrasando eram as malditas fotos 3x4. Como frugal que sou. Tenho uma delas escaneada no computador e papel fotográfico. Como com pressa ninguém faz nada direito cortei a porra toda torta, joguei no lixo e imprimi mais uma folha, então pedi para a desocupada de minha mãe cortá-las enquanto eu tomava banho. Aquele ditado que diz: Não peça para que outros façam o que você mesmo pode fazer. Ela estava cortando as fotos todas com bordas.

-PQP mãe! Tu já viu foto 3x4 com bordas?!

Aí ela começou a cortar a porra toda tão torta quanto eu mesmo estava cortando com as mãos tremulas por tanta pressa. Peguei puto da vida as menos tortas e voei para o outro lado da cidade. Duas horas depois estava próximo ao ponto que descer. Os lixos dos GPS, como sempre, nunca estão corretos, maldito Moovit. Desço praticamente no meio do mato. Olho para o número da casa mais próxima a maldita tinha 2 numerações. Sim isso mesmo 2 números diferentes com a diferença de uma centena e ainda por cima sendo um número par e outro ímpar (vê se pode Arnaldo?), voltando um pouco o sentido da estrada a próxima casa também tinha 2 numerações e para minha surpresa um subia e o outro descia. O número que estava mais próximo de onde eu deveria estar era o que subia no sentido da via. Então o corno aqui começou a seguir o sentido da via. Só que tinha uma curva fechada que não dava mais para ver a civilização próxima. Fui andando feito um trouxa, do outro lado da rua só tinha aquelas lojas bizarras que expõe seus vasos, estátuas e outras coisas de jardins na beira de estrada, então não tinha nem ser como ali, apesar da numeração informar que ela exatamente do lado onde eu estava. Depois de uns 10 minutos de caminhada, seguindo a estrada cercada de apenas mato e da curva, o primeiro sinal de civilização após uns 300m me mostra que a numeração já tinha passado e muito o local da empresa.

CACETE! Essas porras só acontecem comigo! Atravesso e volto tudo de novo só que agora do outro lado, só que para minha surpresa, a numeração também era ímpar! Que lugar foi esse onde fui parar?! Ainda estava chovendo, um lamaçal desgraçado e eu tinha que ficar atento aos carros que poderiam passar em cima das poças e me dar um banho.
Vou descendo a estrada e olhando a numeração, quando vejo a maldita casa verde com um pequeno banner com o nome da empresa. Isso do outro lado de um retorno perigosíssimo.

A entrega da documentação foi tranquila, na volta comprei um milk-shake de prestigio (para me presentear pela conquista) no Mcdonalds no shopping no único ponto a 2km de distância da empresa. Nessa brincadeira perdi cerca de 5 horas naquele dia só no translado.

Durante o retorno ao meu cafofo, Roberto me liga para me informar que diferente do que o RH tinha dito eu já começaria no dia seguinte. Loucura, loucura, loucura!

1º Dia

Qualquer coisa nova me embrulha o estômago, me deixa apreensivo de como será. Mesmo não sendo um novo emprego em si. A expectativa de como seria a nova empreitada me deixava bem ansioso.
Ao pegar o caixão metálico, aquele ar-condicionado quebrado, abarrotado de chimpas até as portas, fiquei refletindo, é isso mesmo que eu quero? Voltei a rotina, será que vou morrer fazendo isso? Como trabalhar é horrível.

Eu vendo a vida passar diante dos meus olhos.

Me apresentei na portaria e a recepcionista até me reconheceu assim como alguns seguranças, fui para o QG da empresa depois de assinar uma cacetada de papéis, depois fizeram comigo e os novos funcionários um tour pelo andar inteiro onde estaríamos alocados, conhecer o novo chefe do local e etc.

Na verdade eu voltei ao mesmo local de trabalho onde eu supervisionava piões. Só que voltei na área administrativa em outra gerência, ganhando muito menos, mas com menos perturbações e com gente boa, diferentemente do psicopata com quem trabalhei uns anos atrás. Pelo menos estou empregado e o vale refeição ainda é maior que o salário líquido do meu emprego de merda.

Quem segue minha caminhada durante os fechamentos, sentiu como está difícil arranjar um emprego em um estado falido como o inferno de janeiro. Ainda mais pelo estado ter como contratante direto quase 20% da força de trabalho formal e muito mais indiretamente (por terceirizados), essa dependência estatal poderia somente ter um único resultado. Se o governo vai à bancarrota, é inevitável que a população acabe se ferrando logo em seguida. Mas diferente de vários órgãos estaduais, esse é um dos únicos que está expandido feito louco apesar de não ter justificativa lógica, ética e moral.

Tá mas o que é que eu faço?

Eu auxilio administrativamente (Severino) um dos funças que me indicou pela terceirizada que por enquanto está sendo meu costas quentes, assim como o amigo que ainda continua supervisionando piões, só que agora sem tirar o cu da cadeira, pois proibiram de ficar andando atrás dos piões. Duas únicas palavras definem essa imposição a ele, expansão e orçamento, tem que justificar essa porra, senão no próximo plano orçamentário não tem como pedir mais grana, já que se não gastar tudo, o próximo ano há redução do orçamento, então tem que ficar criando cargo, contratando pessoal e especializando o serviço pra justificar os gastos, serviço público é isso.

Passo boa parte do meu tempo tomando conta dos negócios paralelos desse funça, enquanto ele também fica tocando seus negócios durante as horas vagas que é 90% do nosso tempo. Nesse meio tempo o supervisor de piões fica procurando emprego e no WhatsApp (duvido ele encontrar algo na iniciativa privada pagando mais do que ele recebe hoje).

Não estou ganhando bem, mas também não estou ganhando mal. Ganho até mais que alguns comissionados que recebem apenas 2 salários, puro, sem nada. O pessoal ainda fica tocando na minha ferida dizendo que eu não deveria ter pedido demissão, mas eles não estavam na minha pele. Eu descrevo +- como foi minha experiência como estagiário com esse gerente neste post e os resultados físicos da minha volta como supervisor de piões com esse mesmo psicopata no fechamento de outubro de 2015 e na retrospectiva de 2015. Minha única saída seria a demissão mesmo, pois apenas pedir minha transferência ou até mesmo aceitar a oferta do cargo comissionado (mas ainda sim subordinado a ele), não resolveria meu problema, que seria o de ficar mais longe possível daquela figura morfética.

O funça que me chamou de volta até me dizia na época que eu iria pedir para voltar. Sim pedi para voltar, mas não para ele ou qualquer outro relacionado nas gerências. Não queria ser humilhado novamente e dar o braço a torcer. Mas já no desespero, após o emprego de merda e outros temporários, pedi uma vaga para meus contatos das terceirizadas. Bem, hoje estou de volta, não com um salário obsceno (estaria ganhando mais de 3k + benefícios), mas com dignidade, tempo livre e respeito.

Como são os funças com quem trabalho.

Descrever um funcionário público (servidor ou empregado [foda-se]) é descrever todos os outros, é impressionante como só mudam de endereço, pois todos se comportam iguais diferenciando os apenas pelo nome, matricula, salário, ídolo político e time de futebol.

Todos entram como se fossem mudar o mundo, apenas decorando um monte de besteiras que provam somente que você é um bom conhecedor da máquina pública, coletivista e que possivelmente é fiel ao estado. Por consequência todos acham que são melhores que todos os outros apenas por passar em um teste de decoreba.

O que eles acham que são.


E o que realmente são.

Pobre Sofredor, retrate-se! Nem todo funça é preguiçoso e não é só decoreba!
Nem todo funça é preguiçoso, mas o sistema o força a ser. Não adianta ele tentar adiantar o seu lado se a resposta dos outros departamentos demoram 7 dias para ser respondido.

E quem disse que não é decoreba? O que mais vejo é funça com problemas informáticos, com português, raciocínio lógico e outras coisas básicas que se aprende nos cursinhos e é cobrado em prova. Não tem prática no mundo real, mas apenas teórico. O setor de informática nem atualiza os sistemas, pois se mudar a cor de um ícone, eles já inventam dificuldades e fazem o serviço de forma mais lerda possível.

“Como tiro a porcentagem desse valor aqui?”
“Como boto fórmula no Excel?”
“Não tô achando os e-mails na pasta tal, me ajuda aqui?”
“Como é a abreviação de vossa excelência/excelentíssimo?” Depois de digitar umas 10 vezes de forma errada no Word e só aparecer o sublinhado vermelho, meia hora depois decide jogar no Google para ver como se escreve.

Coisas simples como uma resposta de 5 linhas podem demorar até 2 dias para serem escritas. Isso porque sempre há coisas mais importantes e urgentes para se fazer que aparecem no meio caminho, como:
Planejar as próximas férias.
Planejar o destino do próximo feriadão.
Verificar quantos abonos já utilizou e se vai conseguir emendar uma semana de folga.
Em que lugar do mundo vai gastar a licença-prêmio.
A tabela do brasileirão.
As eliminatórias da Copa.
A pausa para o café.
A pausa para conversar com outros funças sobre as viagens que internacionais que fizeram e quais serão as próximas.
A pausa para pedir sugestões de países para a próxima férias.
A última corrida da Formula 1.
A ressaca do fim de semana.
O jogo de quarta-feira.
Os carnavais antigos e próximos carnavais.
Abrir o G1, Carta Capital, Foice de São Paulo para ver as notícias políticas.
Abrir o Globo esporte e comentar sobre o brasileirão.
Calcular quanto tempo falta para a aposentadoria.
Fumar.
Reclamar que o ar-condicionado está muito frio e não pode trabalhar.
Reclamar que a sala está muito quente e não pode trabalhar.

O lema é, se demorou para chegar aqui. Não tem pressa para reencaminhar/responder.

Reclamam do salário, mas vivem no carpe diem. Se acabou as folgas, mete um atestado. Se acabou a grana da viagem, pega mais um consignado. Afinal de contas, o salário é garantido, nunca vai ficar desempregado e sem grana. Por isso o que mais aparece na tv desse estado falido é funça desesperado porque não tem um único centavo, já que nem o lixo da poupança existe para eles, e quando a estabilidade prometida pelo papai estado não é cumprida (não sei porque acreditam tanto nisso) esperneiam iguais a crianças birrentas para ter o salário em dia. Eles têm que ver que tem gente desempregada a muito mais tempo do que eles estão sem receber e sem ganhar NADA! Se o setor produtivo da sociedade não produz, não tem como pagar o salário deles simples assim. É preciso que os meros mortais trabalhem para eles receberem. Não pensam nem em vender nem que seja um pouquinho para ajudar nas contas, é mais fácil chorar e contar história triste. Empreender não é vergonha pra ninguém.

Tem uns tão caras de pau que se orgulham de dizer que nunca tiveram uma carteira de trabalho ou que desde que entraram na máquina pública não trabalharam mais um único dia de suas vidas.

Sem falar nas picuinhas que fazem para preencher o tempo ocioso, como tomar posse de lápis, caneta e borracha dizendo que são deles. Discutem política, xingam uns aos outros de comunistas sendo tão comunistas quanto. Desqualificam e desdenham qualquer pessoa que não seja da patota esquerdista que predomina a mídia e seus pensamentos. Passam o dia vendo fotos históricas e comentam sentindo saudades de um tempo que sequer viveram, dizendo que era melhor e etc. E quando perguntados que países já visitaram ou gostariam de visitar, só sai da boca deles países livres e ricaços como Chile, EUA, Austrália, Emirados Árabes, Canadá e etc.

Os com mais tempo de casa nem ligam mais para horário, chegam depois do almoço e saem as 16:00. Depois só justificam no RH que aceitam sem falar nada, afinal de contas funça não trabalha pelo seu salário. Eles merecem ele por ter passado em uma prova. São especiais e fazem um trabalho qualificado e importantíssimo para a sociedade, pensam eles.

No interior a ociosidade é tão grande que o horário oficial é apenas de terça a quinta!

Como a maioria dos órgãos públicos, há também uma politicagem nojenta onde trabalho. Antigamente era mais, mas ainda continua tendo. É indicação de fulano para criar uma vaga para o sobrinho. E indicação de sicrano para botar a amante. E indicação de Ares para arranjar uma vaga para o Genro. É indicação do capeta para por seus lanchinhos com a desculpa de exibir uma imagem de diversidade na instituição.

Eu mesmo atualmente trabalho com um estagiário que o RH jogou na gerência, sem ninguém pedir ou ter necessidade. Depois de um tempo descobrimos que o merdinha tem o salvo conduto para ficar suas 4 horas no Facebook, celular e se recusar a atender o telefone, pois toda a família é dos altos cargos da instituição.

E quem bota essa porra para funcionar?!

Vou reformular a pergunta. “Quem construiria as estradas?”😂. Os terceirizados e estagiários interessados em ter qualquer tipo de emprego fixo. Um terceirizado faz o que 5 funças não conseguem fazer. Até um estagiário que não seja indicação faz em apenas 4 horas o que um funça faria (se fossem interessados) em uma semana de três dias). Quem faz a máquina pública funcionar são as terceirizadas, o governo há muito tempo usa a terceirização para a atividade-fim, oficializar isso só diminui ainda mais a quantidade funças e futuras contratações, por isso espalham como loucos que isso seria o fim da CLT, que seria ótimo, não acha não?

Então como voltei, mas agora para um bom local de trabalho, estou usando meu prestígio para resolver meus problemas de saúde. E como consegui esse prestígio? Comprando os funças e outros terceirizados com bolachas, biscoitos, chocolates, pizza e etc. Quem não gosta de coisas grátis?! Faço questão de parecer bonzinho para garantir minha permanência no trabalho, já que não tenho estabilidade e nem costas quentes garantidas por alguém do alto escalão. Para ser um funça completo só me falta ter a bendita estabilidade.

Bem é isso, se tiver alguma curiosidade deixe abaixo.

Abraços!

46 comentários:

  1. Funças são como zumbis. Eles abdicaram de sua vida pra viver como cachorro do estado.

    Agora é usar isso ai como degrau meu chapa. Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Muito obrigado pela visita!

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  2. O que você descreveu é exatamente o que eu vivia no meu estágio, pessoal é tudo morto vivo, até pra atender um telefone é aquele sacrifício, acham que estão fazendo um favor! Mas ainda sim eu sinto saudade de lá, aiiiii meu Deus como eu queria ser funcionário de lá, ganhava pouco mas não tinha muito serviço pra fazer, so ficava planejando o que eu ia comprar na bolsa. Ai como eu sofro de saudades de lá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha quem não sentiria a falta de um trabalho assim?

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  3. Pobre Sofredor, curto muito o seu blog. Que bom que você que arrumou outro emprego. Uma coisa eu tenho curiosidade, você nunca pensou em mudar do Rio não?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mudar sempre quis, o problema é o medo de recomeçar e dar errado. Tudo que faço na vida não dá certo de primeira, não sei se você percebeu isso.

      Para tentar outra coisa deveria ter algum suporte financeiro da família, coisa que não tenho. Dez mil não é nem troco de bala, conseguir é difícil demais, agora para gastar é em um piscar de olhos.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
    2. Valeu por responder. Verdade né? é bem difícil começar do zero em outro lugar. Quem sabe no futuro. Boa sorte na sua corrida, está muito legal te acompanhar. Abraço!

      Excluir
  4. Tambem sou funça e vejo nos meus proprios olhos o tanto que 85% são malas. Tem um funça aqui do meu trabalho que entrou antes de 1988 (ja garantiu a estabilidade). Ele deve ter uns 60 anos, ganha 25 mil bruto (ganha mais até do que o presidente do orgao), trabalha 6hrs por dia e ainda tem umas 10 ações contra o Estado pleiteando direitos. Quando vem trabalhar, fica no maximo 3hrs. O restante do tempo ele vai resolver suas coisas particulares.

    Por outro lado, vejo comissionados bom de serviço aqui trabalhando 8hrs por dia e so ganhando 2 salários mínimos. Serviço público tem dessas coisas. Abraço

    ResponderExcluir
  5. Mudando de assunto, vi que voce investe em algumas criptomoedas. Estou pensando em adentrar inicio do proximo mês. Que tipo de wallet voce me recomendaria PS? Estou em dúvida. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como carteira eu uso a Coinomi, pois ela é multiwallet, é determinística (todas as carteiras derivam do seed original), tem o shapeshift integrado, a carteira é realmente sua e todo fork que o bitcoin tem, você recebe as moedas de forma rápida e bem simples, além de poder ser auditada por ser open source.

      Pra mim o único defeito é ainda não ter Monero, mandei um email para o suporte deles fazendo essa sugestão.

      Abraços!

      Excluir
  6. Legal.
    Seria bom, vc no seu tempo livre e agora com emprego e auto estima melhorada, estudar pra um concurso, alguma vagas dessas...deixar o preconceito de lado e tentar com força isso!!!!! Abcs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara entrei pensando nisso, mas não consegui pegar em um único áudio sequer, até porque não há previsão de bons concursos, os que estão abrindo é para cadastro de reserva e etc. Além de odiar as matérias, nada faz sentido, nada é moral é tudo prolixo.

      Abraços!

      Excluir
  7. Olá PS,

    Parabéns pelo novo emprego. Sou servidor público e essas coisas que você citou é verdade. Vim da iniciativa privada e a diferença é gigante. Onde trabalho tem muita gente preguiçosa que atrapalha os andamentos dos serviços. Então, eu estou de boas e vou utilizar o meu trabalho para buscar a IF. Liguei o botão do fodas.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo que temos que fazer, aproveitar o tempo ocioso para buscar a IF.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  8. Tenho um amigo que está quase se formando em Direito e estagiou por um bom tempo na Justiça Federal. Ele fala exatamente as mesmas coisas que você. Ele é um cara pra frente, que gosta de fazer as coisas acontecerem, esforçado e que quase arrancava os cabelos quando ficavam atravancando as coisas com essas mesmas picuinhas que você comentou.

    No mais, to rindo muito com a analogia que você fez com os GIFs. Eu não consigo olhar pra cara de um bicho-preguiça sem começar a rir! hahahahahah

    Continue firme no trampo. Melhor ganhar pouco do que não ganhar nada. E continue escrevendo! Você tem um talento gigantesco pra isso! Deverias pensar em começar a escrever umas crônicas. Coisas curtas mesmo, fazendo humor com as situações que você vive.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelos elogios Wannabe. Eu iria por mais gifs, mas ficaria pesado demais o post. Não sei, mas acho que o próximo post será mais sério.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  9. Primeiramente parabéns pelo emprego. Em relação ao funcionalismo público, vc só conseguiu me deixar mais triste ainda. A realidade é muito ruim para acreditar. Teremos futuro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, se conversemos todos a sonegar. O estado só diminui se a gente forçar e o único jeito de forçar isso é no bolso, se eles não tem dinheiro pra gastar, não tem como expandir e contratar mais funças. O incentivos econômicos são os mais poderosos da face da terra.

      Nem como mais TD para não incentivar a farra com nosso dinheiro.

      Incentive as pessoas a deixar de usar a moeda estatal para usar bitcoin, também é uma ótima alternativa.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  10. Parabéns pelo novo emprego.

    É revoltante a situação que chegamos em relação ao bananil. Quase tudo por aqui é corrompido, Funcionário Publico que não trabalha e uma quantidade gigantesca de brasileiros que adoram "Jeitinho brasileiro" para resolver tudo, fico puto com essas situações!

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nada de novo amigo. Desde que o Brasil virou república que essa cultura do mais esperto se fortificou.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  11. Esse retrato que você fez do serviço público é muito parecido com um determinado órgão que já trabalhei: politicagem, servidores velhos e preguiçosos que se escoravam nos pobres coitados dos terceirizados. Entretanto, trata-se de um órgão que não tem razão de existir, importância quase nula para a sociedade.

    Isso é uma característica importante, infelizmente muitos órgãos públicos ou mesmo departamentos específicos não precisavam existir, e a sua inutilidade é refletida num ambiente de trabalho como o que você descreveu, no fundo as pessoas sabem que não estão gerando valor, que estão ali apenas "mamando" e acabam incorporando esse papel.

    Por outro lado, nos órgãos públicos de elite, essa realidade é bem diferente, começando pela pouca existência de terceirizados, que se limitam apenas a trabalhos de baixa complexidade. Além disso, a tendência é haver servidores bem melhores capacitados, engajados e que buscam fazer um bom trabalho e subir na carreira.

    Provavelmente esse seu emprego é num órgão público (ou departamento) de 5º escalão, que não tem motivo para existir.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que não meu amigo, sem meu departamento nada funcionaria no órgão.

      Pela mídia é considerado até um órgão de elite e os cabeças também acham isso, tanto que vivem em eventos importantes e aparecendo na televisão. Só que eles são os primeiros a corromper o sistema, botando os amigos e a parentada, pior, não sentem vergonha disso, recriminam quem os critica, exonera quem não tem estabilidade e ainda por cima ficam reafirmando sua imagem de ético e moral. Não é em Brasília, mas também temos uma representação lá.

      Se onde você trabalha os profissionais são capacitados, engajados e buscam subir na carreira, parabéns, você pegou a exceção, o ponto fora da curva, pois todos os outros órgãos com quem tenho contatos faço a mesma descrição.

      Aí te faço uma pergunta, como um órgão de 5º escalão está recebendo e pagando tudo em dia enquanto todo o resto do estado está as traças? Alguma importância ele deve ter né? Só que na ética libertária esse órgão é só mais um antro de parasitas esbanjadores da extorsão estatal como qualquer outro.


      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  12. Fala PS!

    Parabéns pelo o seu emprego, pelo menos agora as coisas acredito vão melhorar para o seu lado.

    Sobre esse mundo dos funças, pois bem, tenho conhecidos que são, eles falam a mesma coisa, terceirizados trabalham até o talo para manter o lugar em ordem.

    Mas acredito que logo vai mudar essa situação, leis, planos de reforma trabalhistas, pois o estado não aguenta mais pagar, uma hora a corda estoura.

    Abraços e sucesso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espera-se né? Enquanto isso vamos sonegando e utilizando cryptos o quanto pudermos. Só assim para diminuir o inchaço do estado.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  13. fala pobresofredor sou do Rio também e realmente aqui esta muito ruim de trabalho. Agora, esses funças ai fala sério... !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, qualquer coisa para eles é motivo de fazer greve. São a descrição perfeita de comunistas, não trabalham, se acham especiais e ainda se acham no direito de ter pagamento, mesmo que o valor por eles produzido representar praticamente 0.

      O jeito é falar com todos os amigos que está desempregado, só se consegue emprego atualmente por QI. Se você não fizer seu networking e publicar aos quatro ventos que está desempregado ninguém vai se lembrar de você.

      Abraços, força na luta e volte sempre!

      Excluir
  14. Força nessa nova empreitada ps, ramo junto.

    ResponderExcluir
  15. quer dizer que os terceirizados são os injustiçados que carregam o órgão nas costas?
    kkkkkkkkk
    Só rindo mesmo. Normalmente terceirizado não sabe nem a hora que está com fome.
    Pelo menos o concursado sabe alguma coisa, visto que,aceitando você ou não, passou em um concurso.
    No órgão em que trabalho terceirizado só faz trabalho de apoio.
    Se dependesse deles, TODO o trabalho iria ficar parado, visto que eles não podem assinar relatórios nem elaborar notas técnicas.

    Infelizmente, as pessoas têm essa visão de servidor público vagabundo. Só que as coisas estão mudando e muito.
    Esses "vagabundos" são exatamente da época que não existia concurso. Eram apadrinhados que foram efetivados em 1988.
    Eu já fui da iniciativa privada e o pessoal da administração pública é infinitamente mais preparado do que os "privados". Não tem nem como iniciar uma comparação, de tão desigual que é.

    Enfim, um abração e torço para você ser um servidor público exemplar no futuro. Não irá se arrepender. Afinal de contas, a maioria critica, mas adoraria ser um (só que não tem capacidade de ser).

    PS. Sobre DECORAR para passar em uma prova, me explique você, espertão da iniciativa privada, como se decora Matemática Financeira, Estatística, Raciocínio Lógico Quantitativo, Informática, Português, inglês, economia, auditoria, contabilidade avançada, contabilidade geral, inúmeras matérias de direito etc.
    Impossível colega. Ou você entende, ou você não passa. Daí a dificuldade para a maioria das pessoas, que não conseguem sequer interpretar um texto (como entender esse monte de matérias).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deu para ver que você é um funça vagabundo que vestiu a carapuça. Caso contrário não teria ficado irritadinho.

      Quem conhece orgão público sabe bem como é, os concursados podem até "saber mais", mas isso não impede que a maioria deles jogue o serviço nas costas dos estagiários e dos terceirizados ou fique jogando de um para outro.

      Se você é uma exceção parabéns, mas não tem porque ficar defendendo o resto senão por esse sentimento de classe escroto.

      Excluir
    2. Realmente o Anônimo 15:49 se doeu. Como qualquer outro funça se acha superior aos outros seres comuns que não tem tempo e/ou saco ou até mesmo alguém financiando para decorar baboseiras para uma prova.

      O 19:01 lembrou outro fato recorrente. De um funça ficar jogando o serviço para o outro. Tem documentos com mais de 1 ano esperando ser respondidos no meu setor e quando pergunto se vão dar prosseguimento, um põe a culpa no outro e até mesmo em funças que foram exonerados. Um ainda tem a cara de pau de falar: “Se já passamos um ano para responder, pode passar outro aí para ter outra resposta”.

      E pelo jeito seu desconhecimento geral do funcionamento da máquina pública é grande (normal quando o trabalho é extremamente fragmentado/especializado). Terceirizado não faz nota técnica e relatórios não porquê não sabe, mas porque não é um representante da instituição. Aliás, o terceirizado faz, mas a rubrica e carimbo que vai atestar aquele documento é sempre a do comissionado ou do funça.

      O único órgão que realmente funciona é o da receita federal, pois se ele não for eficiente na extorsão do povo, nenhum parasita recebe. Por acaso você e o Senhor Ministro trabalham lá?

      Sim a maioria quer ser funça, mas não consegue não por não ter a capacidade, mas por não está dentro das vagas marcadas. Tenho conhecidos próximos que estão esperando há quase 2 anos para ser chamado, mesmo estando próximo as cabeças, não chamaram nem 1/3 do quantitativo do edital. Eu mesmo já passei em uns 2 concursos nos últimos anos, mas por ter me qualificado mal, nem tenho a esperança de ser chamado.

      Se não fosse apenas decoreba, as provas de raciocínio lógico não precisariam de tabela verdade/equivalências (quando fiz presencial o próprio professor dizia para decorá-las). Não haveriam infinitas interpretações para as mesmas leis (tem que decorar tudo), não haveriam infinitas exceções (português também incluso) para tudo, a maioria das regras/leis não tem lógica ou explicação (juspositivismo rolando solto) resumindo apenas em decore a regra/lei/fórmula e etc. seca e depois de muita repetição, muito exercício fazendo a mesma coisa, passar a decorar as exceções e jurisprudências e etc.

      Se ficar repetindo até gravar não é igual decorar a tabuada não sei mais o que é decorar, esqueci completamente qual o valor semântico dessa palavra.

      Nem adianta dizer que é mentira, pois qualquer pessoa que tenha acesso a um material de concursos vai encontrar sempre essas dicas, decore a lei seca/fórmula/regra, faça os exercícios e depois estude a jurisdição, interpretações e exceções. Ou seja, decoreba pura.

      Ser aprovado em um concurso é preciso dedicar bastante tempo, ter um bom sono e não ter estresse para retenção da decoreba, coisa que somente um easy way of life tem e não pessoas comuns que precisam pagar suas próprias contas.

      "Ah..mas tem fulano que era catador de latinha e passou para um concursos foderoso" tá, mas quantos anos ele tentou até conseguir? Além disso pessoas desse tipo são as exceções, não a regra, simplesmente um ponto fora da curva, um ser fora do desvio padrão.

      Abraços!

      Excluir
    3. Olá, Pobre Sofredor. Eu discordo de alguns pontos levantados por você, concordo com outros. Vou fazer um post sobre isso em breve.

      Só gostaria de comentar sobre essa frase em especial "que somente um easy way of life tem e não pessoas comuns que precisam pagar suas próprias contas".

      Amigo, a maioria dos servidores que conheço são membros de famílias estruturadas que não precisam ter muitas preocupações com a vida, realmente.

      Mas não faltam exemplos contrários (eu incluso), e não são tão excepcionais assim! Conheço servidor tão fudido que pouco antes de ser nomeado foi até expulso de casa pela mãe!

      Você escreve bem, consegue concatenar as ideias, tenho certeza que, se aplicar o esforço necessário, consegue uma aprovação num cargo de 4k, faz sua faculdade e depois pode alçar voos maiores.

      Abraço!

      Excluir
    4. Até tendo a concordar com alguns pontos que o Anônimo 15:49 colocou, mas o problema central da fala dele, como o outro anon logo apontou abaixo, está na generalização, infelizmente, não há como negar que há muito func. público que só qr saber de coçar o saco sem encontrar qlr empecilho ético quanto a isso. Acredito firmemente que o problema da vagabundagem remunerada com dinheiro de impostos seja maior em funcionários públicos mais antigos, que possuem outra posição cultural quanto ao serviço publico. Ademais, creio também que isso varia muito de repartição para repartição, no IBGE por exemplo, há pouquíssimos funcionários efetivos concursados nas agencias do interior, de modo que os efetivos não concursados acabam deixando praticamente td o serviço para aqueles temporários aprovados em processos seletivos frequentemente realizados pela referida instituição.

      Abraços.

      Excluir
    5. É +- por aí Astronauta. Só que a preguiça é uma doença funça que contagia muito rápido. Não importa a idade, não importa o ano do concurso é só dá uma abertura que ficam todos folgados.

      Excluir
    6. Não generalize, nem todos ficam acomodados.

      Excluir
  16. PS !! matou a pau ao descrever os funças, principalmente na questão dos concursos, o único mérito desses funças foi poder ter se dedicado ao conteúdo de um concurso especifico, concordo com vc, não sabem nada da vida !!! o único mérito deles foi ter decorado conteúdo para passar em um concurso. passar acertar uma prova e está lá, não precisa ter experiência e nem saber de nada !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Stifler, o que escrevi é a mais pura verdade.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
    2. Pois é, Stifler...
      mas é melhor (e mais fácil) decorar pra prova do que ser ultra qualificado e depois ser barrado nas entrevistas e dinâmicas de grupo cretinas de RH. E depois fazer toda a engenharia social: happy hour, puxa-saquismo, curtir e concordar com matrixianos em redes sociais, etc. só pra manter seu sustento.
      Homem feio, pobre e introvertido só se fode na iniciativa privada. É um ciclo vicioso pois sem dinheiro ñ tem como o cara se ajeitar.

      No Bostil, concursos são a única saída pra esse sistema cretino de engenharia social matrixiana, pois até empreender tambem depende de tudo isso (fora todos as barreiras estatais...).

      Por mim podem estuprar a aposentadoria dos funçãs, botar avaliação anual de desempenho, pressão no trabalho, cortar auxílios e até igualar o salário com o privado, só não mexam na bosta do Art. 37 da CF: seleção por PROVAS

      Excluir
  17. "Nem todo funça é preguiçoso, mas o sistema o força a ser." Infelizmente é bem por aí mesmo, nos primeiros mesmo de funcionalismo vc pode até se dedicar e tal, mas com o passar do tempo os fatores desmotivadores são muitos, por exemplo, o colega do seu lado que não faz porr4 nenhuma e tem o mesmo cargo q vc, mas no fim das contas ganha o mesmo q vc que se mata de trabalhar. No fim das contas muitos acabam se tornando justamente aquilo que abominavam no funcionalismo publico, é o sistema que tem q mudar, agora ps, vem ca, por curiosidade, a maioria destes colegas funças seus são uma galer anova ou são dinossauros que tão la há décadas? pergunto isso pq ainda tenho esperança que os funcionários públicos mais novos tenham maior senso critico quanto ao seu papel e quanto a origem do dinheiro que paga seus salários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade o funça ao meu lado é funça mesmo, concursado e do alto grau da funcidade, eu sou apenas terceirizado, mas também quase não trabalho, a indignação vem, quando lembro que ele e muitos outros ganham quase 7x a mais do que eu (olha que no momento não estou ganhando pouco) pra ficar falando sobre futebol, política e etc. O que me reporto diretamente ainda toca um negócio paralelo, pois acha que ganha pouco (incrível como são endividados e/ou quer fazer a vida mais emocionante [quase não tem problemas]).

      Por incrível que pareça não tem separação entre dinossauros e nova guarda. Tem dinossauros que tentam fazer o trabalho o mais rápido possível para ficar sem o que fazer depois, como tem funça recém chegado que até dorme durante o expediente. Vai da personalidade de cada um. Como o sistema é lento, mesmo que o cara seja o Sr. eficiência em 1 mês tu vai ver o cara zanzando pelo prédio, nas padarias, bancas de jornais, jogando papo furado em outras gerências, só para passar o tempo e não enlouquecer com a morosidade.

      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  18. Lembro-me da época em que adentrei no serviço público, sentia-me o "Capitão América", pensava que iria mudar o mundo, ledo engano, sendo um subalterno, não participo de qualquer planejamento, assisto o corpo-mole dos outros colegas quando são ordenados a atender alguém em perigo, frustrei-me, procurei isolamento nos serviços administrativos internos, com esse isolamento, passei a me senti "inútil", mesmo fazendo tudo certo o que tenho que fazer, entrando e saindo no horário estipulado, estabilizado mas sem a auto realização.

    Desenvolvi altruísmo ao setor privado, desde que comecei estudos sobre ações, observando as atividades das empresas, interessei-me muito pela agroindústria, estudando um projeto para constituir uma azienda, sempre ouvi falar dos incentivos fiscais para o Norte/Nordeste, mas nunca tomei conhecimento de fato sobre eles, em breve terei ciência.

    De qualquer forma, seja perseverante amigo, use a tal "dissimulação", aporte como nunca.

    Abraço do norte e boa sorte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lobo, não se iluda com o setor privado também. No Brasil há muito corporativismo e o que mais conheci foi empresa que não faz seu papel social de falir, pois só sobrevive aos trancos e barrancos graças a vários dispositivos legais. Apesar do setor público ser desmotivante o setor privado não fica muito atrás. De 11 empresas por onde passei apenas 2 eram boas de se trabalhar e eficientes, o resto era tudo capenga e bagunçada, exatamente por terem a certeza que iriam receber seu pagamento mensal do setor público.

      Sim meu amigo, o que mais existe no nordeste é banco de fomento. Subindo a BR 116 e BR 101, nas diversas fábricas nas beiras das rodovias, pode-se ver placas gigantes com o nome do banco e o valor investido naquela fábrica, algumas não tem só uma, como 2 ou três placas de diferentes bancos.

      Já tô fazendo meu nome com os superiores, quanto mais pessoas conquistar, mais forte ficará minha base para continuação nesse emprego.

      Abraços!

      Excluir
  19. Putz! Que bosta essa história! Espero que um dia você consiga sair desse meio e, se possível, do RJ.

    Vou te add no blogroll.

    Abraço!

    ResponderExcluir

1. O pensamento é livre, não modero os comentários.
2. Você é o único responsável pelo que digita.
3. Propagandas ou spam serão excluídos sumariamente.

Obrigado pelo seu comentário e volte sempre!