Publicidade

Seguidores

Google+ Followers

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

quarta-feira, 6 de setembro de 2017

Documentário: Red Pill

Faz tempo que não faço um post extraordinário fora da agenda de fechamento e post quinzenal. Decidi escreve esse após ver um excelente documentário, esse que contraria qualquer outro documentário lançado este ano, pois a autora pensou fora da caixinha, foi contra o senso comum e relativismo de todos os atuais documentários lançados este ano. Ela simplesmente mostra o que é real e do mundo em quem nós vivemos e que o mainstream simplesmente finge não existir e qualquer um que tente expor esses fatos, são silenciados.

Só pelo Netflix ter proibido o documentário por ter verdades demais, já surge àquela pulga atrás da orelha por isso vale a pena sua busca. Não só o Netflix negou sua disponibilização na plataforma como vários cinemas negaram a exibição e outros onde conseguiram que o documentário fosse exibido foram vandalizados pela "gente boa" que se diz da paz. Mesmo sendo um filme auto financiado (sem nenhum centavo do pagador de impostos) saindo do próprio bolso dos interessados através do Kickstarter.

Precisavam de 97 mil dólares para pós-produção do filme e conseguiram mais do que o dobro. Mostrando mais uma vez que as pessoas estão dispostas a ver e ouvir e verdades, diferente do que o mainstream nós faz engolir diariamente.

O documentário se chama The Red Pill. O titulo do filme faz uma alusão a pílula vermelha do filme The Matrix, onde Morpheus mostra duas pílulas a Neo, aonde ele deve fazer a escolha que mudará sua vida, se ele tomar a pílula azul ele voltará a dormir, esquecerá tudo que viu naquela noite e voltará a sua vida normal como se nada tivesse acontecido, vivendo em uma eterna ignorância. Agora se tomar a vermelha, ele descobrirá o quão profundo vai a toca do coelho, fazendo uma alusão ao buraco em que Alice cai e vai parar no país das maravilhas.
O roteiro do filme consiste na cineasta, produtora, diretora, atriz e entrevistadora Cassie Jaye, procurando entender o que ela acreditava ser um movimento de ódio contra as mulheres, já que durante anos ela foi uma feminista ativa e como uma documentarista, sempre procurou por assuntos controversos.

Com o passar do tempo, horas e mais horas de entrevistas dos dois lados, tanto de feministas quanto de integrantes do Movimento dos Direitos dos Homens (em inglês, Men's Rights Activism – MRA). É possível ver suas crenças desmoronando e vendo que quanto mais fundo se vai nessa toca, mais verdades inconvenientes são descobertas e que entender esse movimento é exatamente como um de seus fundadores o descreveu. É como tentar entender uma nevasca através de cada floco de neve.

E por ser realmente um assunto tão profundo a ser abordado, seria praticamente impossível expor todos os pontos em apenas 117 minutos. Foram mais de 100 horas de entrevistas e palestras. Isso somente com o grupo mais chorão o A Voice for Men, imagina então a quantidade de conteúdo que seria gerado se ela resolvesse entrevistar grupos como os Gersons (lei) da THE RED PILL e os MGTOW que são os que estão com o saco mais cheio e querem sair do sistema.

Mesmo sendo bastante superficial, sendo odiado pela turma do "todo mundo que eu não gosto é Hitler" que nem viu e espalhou para os quatro cantos que atenta contra a liberdade de expressão (oi?). Do dia que foi lançado, 7 de março,  até o dia 1º de maio, foi o primeiro filme mais vendido no YouTube, superando grandes sucessos como o Moana da Disney, os Guardiões do Galaxy e o Rogue One. A YouTuber "Shoe0nHead" (não é a boxxy [o canal dela é ANewHopeee]) lançou uma análise em vídeo do documentário no dia 1º de maio, que atingiu mais de meio milhão de visualizações em menos de 24 horas [Link do Vídeo].


Não só foi um sucesso de vendas nas plataformas digitais, como também faz jus pela sua qualidade. Diferente do que muito crítico comprado e mal amado disse sobre o filme, os reais consumidores o adoraram, acumulando notas como 91% de aprovação dos usuários no Rotten tomatoes, Nota 9.1/10 dos usuários no Metacritic, site que foi tão desonesto que mostra o filme como não avaliado. Mais de quatro estrelas e meia no Google play. No IMDB sua popularidade só cresce, acumulando uma nota 8,6/10. Demonstrando mais uma vez que todo mundo está de saco cheio das mentiras "progressistas".

Ou seja, um documentário mais do que aprovado. Como o LeftFlix não disponibilizou para seus clientes, você pode encontrar o filme na concorrência.
Como o material bruto do documentário é bastante extenso a cineasta regulamente solta uma entrevista na íntegra em seu canal. Cassie Jaye.

Trailer oficial.


Separe um tempo para ver esse documentário. Valerá muito a pena!

DFTBA!